Motorista de Uber condenado por estupro é preso em Indaiatuba

Motorista de Uber condenado por estupro é preso em Indaiatuba

Um Homem de 35 anos que trabalhava como Uber em Indaiatuba e cidades vizinhas estuprou uma menina de 14 anos dentro do próprio carro enquanto trabalhava como motorista do aplicativo.

A menina o denunciou e, através da denúncia, foram descobertas duas condenações por estupro do mesmo homem nas cidades de Itu e Sorocaba.

A policia investigou e se dirigiu ao local onde ele se encontrava na tarde dessa quarta-feira (7) e o prendeu.

A Uber nos enviou a seguinte nota:

Nenhum comportamento criminoso é tolerado e o motorista foi banido da plataforma assim que a denúncia foi feita. A Uber repudia qualquer tipo de comportamento abusivo contra mulheres e acredita na importância de combater, coibir e denunciar casos de assédio e violência.

A empresa está sempre à disposição para colaborar com as autoridades no curso de investigações ou processos judiciais. Nenhuma viagem com a plataforma é anônima e todas são registradas por GPS. Isso permite que em caso de incidentes nossa equipe especializada possa dar o suporte necessário, sabendo quem foi o motorista parceiro e o usuário, seus históricos e qual o trajeto realizado.

Todavia, independentemente da gravidade do caso, a Uber só pode compartilhar dados respeitando a legislação aplicável, em especial o Marco Civil da Internet O Marco Civil da Internet é a lei federal que regula qualquer tipo de compartilhamento de dados no Brasil e proíbe o compartilhamento de dados pessoais com terceiros, exceto nos casos expressamente previstos em lei.

A Uber reitera que todos os motoristas parceiros passam por uma verificação de segurança, que consulta informações de diversos bancos de dados públicos de todo o País. A empresa solicitou uma checagem da verificação sobre o ex-motorista para entender o que pode ter ocorrido.

 

Por Mayuli Canali

A TV Sol Comunidade não se responsabiliza pelos comentários aqui publicados.